Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://higia.imip.org.br/handle/123456789/342
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorCabral, Juliana Chaves-
dc.contributor.authorDamasceno, Wanderlaine do Nascimento-
dc.contributor.authorAlves, João Guilherme Bezerra-
dc.contributor.authorAraújo, Carla Adriane Fonseca Leal de-
dc.contributor.authorAlves, Liana Chaves-
dc.date.accessioned2019-10-23T19:01:29Z-
dc.date.available2019-10-23T19:01:29Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.urihttp://higia.imip.org.br/handle/123456789/342-
dc.description.abstractObjetivos: Avaliar se uma intervenção educativa sobre febre e cardiopatia reumáticas torna os agentes comunitários de saúde (ACS) capazes para a identificação de crianças e adolescentes com risco para essas doenças. Métodos: Realizou-se um ensaio comunitário não randomizado com uma intervenção educativa sobre febre e cardiopatia reumáticas para os ACS, cadastrados na USF Coqueiral, na cidade de Recife/PE. Utilizou-se formulários durante as visitas domiciliares na tentativa de buscar casos sugestivos de faringoamigdalite estreptocócica e/ou febre e cardiopatia reumáticas. A intervenção constou de 4 passos: Passo 1: capacitação teórica das agentes comunitárias de saúde; Passo 2: ações educativa promovidas pelos ACS em conjunto com os pesquisadores dentro da comunidade Coqueiral; Passo 3: busca ativa de casos de faringoamigdalite estreptocócica e/ou febre e cardiopatia reumáticas meio de visitas domiciliares; Passo 4: foram selecionados 30 pacientes para a aplicação de um segundo formulário para verificar o conhecimento dos responsáveis pelas crianças e adolescentes sobre o tema. Resultados: Seis agentes comunitárias foram capacitadas e realizaram em conjunto com a equipe de pesquisa duas oficinas para a comunidade sobre o tema. Após as oficinas foram realizadas 102 visitas domiciliares e oito crianças foram encaminhadas para acompanhamento na USF, tendo em vista apresentarem sinais e sintomas de faringoamigdalite. Posteriormente, 30 domicílios foram sorteados e um formulário foi aplicado às famílias. Observou-se que mais de 70% dos entrevistados concordaram sobre a importância do diagnóstico, profilaxia e tratamento da FR e DRC. Conclusões: A intervenção promoveu incremento no conhecimento dos agentes comunitários de saúde para identificação dos sinais e sintomas da faringoamigdalite estreptocócica e/ou febre e cardiopatia reumáticas, em conjunto com a disseminação dessas informações dentro da comunidade Coqueiral. Além disso, foi possível perceber a relevância dos determinantes sociais e econômicos como fatores de risco para o desenvolvimento de FR e DRC. Contudo, o período total da pesquisa não permitiu o acompanhamento mais preciso das 8 crianças e adolescentes que foram triados na pesquisa, impossibilitando conclusões acerca do diagnóstico e prevenção secundária.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectFebre reumáticapt_BR
dc.subjectAtenção Primária à Saúdept_BR
dc.subjectAgentes comunitários de saúdept_BR
dc.titleIntervenção educativa para a prevenção da febre e cardiopatia reumáticas: ensaio comunitário em um aglomerado urbano subnormal no nordeste do Brasilpt_BR
dc.higia.programPIBICpt_BR
dc.higia.tipoPesquisa PIBICpt_BR
dc.higia.pages24 fpt_BR
dc.higia.orientadorAlves, João Guilherme Bezerra-
Aparece nas coleções:PIBIC / PIC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo PIBIC 2018 2019_Juliana Chaves Cabral.pdf314.41 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.